ACHEI A FONTE CARMESIM
"Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi, e para os habitantes de Jerusalém, para purificação do pecado e da imundícia". Zacarias 13:1

Letra: William Cowper (Col­lect­ion of Psalms and Hymns, 1772).
Música: Cleans­ing Fount­ain, melodia americana do século 19.


Este é um dos primeiros hinos que Cowper escreveu depois de seu primeiro ataque de insanidade temporária. Havia sido prometido a ele um cargo no setor de protocolo no parlamento, mas qual não foi sua angústia ao saber que teria que passar por um exame público diante de toda aquela casa antes de poder ser investido na referida função. O seguinte artigo do North Amer­i­can Re­view de janeiro de 1834, descreve seu dilema e como Deus evitou que ele destruísse a si próprio:
Com a proximidade do tempo de enfrentar o exame sua agonia tornou-se mais e mais intensa; ele esperava e acreditava que seus ataques de loucura iriam diminuir; ele pensou também em suicídio, porém sua consciência o incomodava fortemente contra isto; ele não podia por qualquer argumento persuadir a si mesmo que isto era o correto, mas seu desespero prevaleceu e ele procurou em um farmacêutico um meio para se auto-destruir. Um dia antes de seu exame público ele ficou sabendo de uma notícia em um jornal, o que para sua mente perturbada era como uma maligna calúnia contra si. Imediatamente ele arremessou o jornal ao chão e foi em direção aos campos, determinado a morrer em uma vala, mas o seu pensamento o golpeou fazendo crer que poderia fugir do país. Com o mesmo ímpeto ele procedeu em fazer uma rápida preparação para sua viagem; mas enquanto ele estava envolvido com este compromisso, sua mente mudou e ele tomou uma carruagem ordenando ao cocheiro que fosse para o cais da cidade, intencionando jogar-se no rio e não refletindo que seria impossível cumprir seu intento nesse local público. Ao aproximar-se da água ele se deparou com o porteiro sentado sobre alguns haveres: ele então voltou para a carruagem e foi para casa. No caminho ele tentou beber láudano (medicamento a base de ópio) mas como muitas vezes acontecia, uma convulsão o agitou de tal forma que acabou o impedindo de ingerir a droga; e portanto, lamentou a perda desta oportunidade. Ele então fechou as portas e jogou-se sobre a cama com o láudano próximo de si, tentando agredir a si próprio; mas uma voz dentro de si parecia constantemente impedir isto, e como frequentemente ele estendia sua mão ao veneno, seus dedos foram se contraindo, segurado pelos seus espasmos.
Neste instante alguém que morava próximo veio ver o que se passava, mas ele dissimulou sua agitação e como logo ele foi deixado só, uma mudança veio a ocorrer e tão detestável fez parecer aquela situação que jogou longe o láudano quebrando o vidro em pedaços. O resto do dia ele passou em pesada insensibilidade e a noite ele dormiu normalmente; mas ao acordar as três horas da madrugada, ele pegou seu canivete e jogou seu peso sobre ele, a ponta foi em direção ao seu coração. Mas ele estava quebrado e não o penetraria. Ao romper o dia ele se levantou e passando ao redor do pescoço uma corda, firmou-se sobre sua cama: pondo seu peso sobre ela, segurando-se a porta para ter mais êxito, e pendendo-se dali, permaneceu suspendo até que perdesse toda a consciência de sua existência. Depois de algum tempo, a corda rompeu-se e ele veio ao chão, assim sua vida foi salva; mas o conflito tinha sido maior do que ele pode suportar. Ele sentia por si próprio um desprezo que não podia ser expresso ou imaginado; quando foi a rua, parecia que todos o olhavam com indignação e desdém; ele sentiu que tinha ofendido a Deus tão gravemente que sua culpa poderia nunca ser perdoada e todo o seu coração estava cheio de tumultuosa aflição e desespero. A loucura não estava mais por perto, ou melhor, ela já tinha se ido.
Depois de se recuperar, Cowper veio a entender como Deus pode apagar a mancha de qualquer pecado.  

William Cowper
Nasceu em 15 de novembro de 1731 em Great Berk­hamp­stead, Hert­ford­shire, Inglaterra.
Faleceu em 25 de abril de 1800 em East Dere­ham, Nor­folk, Inglaterra.

Todo o serviço de sepultamento foi conduzido por seus amigos e também pelo escritor de hinos John Newton.
Cowper (pronuncia-se "Cooper") cujo pai foi capelão do rei George II, veio a se tornar advogado, mas nunca exerceu a profissão. Ele viveu próximo a Olney, Buck­ing­ham­shire, Inglaterra, uma cidade com o mesmo nome do Ol­ney Hymns, que ele escreveu junto com John Newton, autor do mundialmente conhecido hino Amazing Grace.  
Cowper também escreveu poesias, incluindo "O Lamento Negro", uma obra contra a escravidão e "A Tarefa" uma composição de cinco mil linhas.

ACHEI A FONTE CARMESIM
Achei a fonte carmesim
Que meu Jesus abriu.
Na cruz morrendo ali por mim,
Minha alma redimiu.
 
Eu creio sim, eu creio sim,
Jesus por mim morreu;
E sobre a cruz pra me salvar,
Castigo padeceu.
 
Na cruz meu Cristo já pagou
O mal que cometi;
E pela morte que passou
A vida eu consegui.
 
Assim, pois, fez-me com amor
Andar no trilho Seu;
Confio sempre com fervor
Em quem por mim morreu.

Traduzido por Edimilson de Deus Teixeira
Fonte: The Cyber Hymnal

Discernimento Bíblico - www.discernimentobiblico.net