DAVE HUNT E A BÍBLIA KING JAMES 

Uma resposta bíblica para o criticismo de Dave Hunt sobre a Bíblia King James

Por
Timothy S. Morton

Leia também: Dave Hunt Ensinos e Atividades Expostas

Abaixo está um trecho da Q & A (perguntas e respostas) de outubro de 1997 do "Berean Call" (A Chamada Bereana). A questão foi compilada a partir de várias cartas diferentes enviadas para Dave Hunt sobre sua posição contrária a palavra de Deus e da Bíblia King James. Segue a resposta” do Sr. Hunt (grifo meu).
  
Pergunta do leitor:
Estou preocupado que você pode estar causando confusão aos seus leitores ... quando se trata das ... Escrituras... Na página 342 [A Woman Rides the Beast] você disse ... [que] a Bíblia contém toda a doutrina, a correção , instrução e a justiça de que é necessária .... Então eu comecei em janeiro 1997 a receber a newsletter da Berean Call ... [em que você diz que] "é um erro evidente na KJV 1611, que foi corrigida por notas marginais nas edições atuais .... Senhor Hunt ... por favor me diga onde eu posso encontrar as Escrituras ... dadas por inspiração de Deus ... proveitosa para ensinar ... [etc]" quando ... você diz que a Bíblia tem erros .... está a Palavra de Deus equivocada de modo que Deus agora tem que se corrigir, nas notas marginais? Estou ficando cansado disso. Toda vez que vejo, alguém está corrigindo as Escrituras... alguém diz que ela tem erros. O que Deus diz se a Bíblia que eu tenho tem erros ...? Por favor, me diga, a sua Bíblia não tem erros? Poderia me dizer onde eu poderia obter uma cópia das Escrituras sem erros?

Resposta de Hunt:
A Palavra de Deus "para sempre ... permanece nos céus" (Sl 119:89) assim você vai encontrar ela lá. Você também a encontra nos originais (quando estavam disponíveis), escrito por homens inspirados pelo Espírito Santo para nos dar as Escrituras. Deus poderia ter preservado os originais, mas escolheu não fazer por suas próprias razões. O que temos agora são milhares de exemplares, a maioria deles fragmentos de vários tamanhos, feitas de cópias de cópias de cópias dos originais. Copistas cometem alguns erros, não importa quão cuidadosos são. Os erros são geralmente muito pequenos e podem ser detectados através da comparação do número de cópias que temos umas com as outras. Até mesmo Gail Riplinger reconhece, "É óbvio que a Palavra de Deus no seu estado perfeito não reside em qualquer um dos antigos manuscritos gregos existentes hoje "(New Age Bible Versions, p 507). Ela entende (pp 510-11) que os tradutores da KJV estavam "inspirados" por Deus para corrigir os defeitos, então somente a KJV agora é quem tem a perfeita Palavra de Deus exatamente como ela existiu nos originais. No entanto, aqueles que traduziram a KJV 1611 negam essa inspiração especial e até mesmo admitem que existiam algumas palavras cujo significado são incertos e que consultaram outras traduções afim de nos dar a KJV.

Os "KJV only" defendem como ponto mais importante que a Palavra de Deus deve ter sido "preservada" aqui na terra. Ainda que esta preservação não estivesse em nenhum exemplar único que alguma vez foi encontrado. Se a KJV o é, então a Palavra de Deus não foi preservada em perfeita forma, até 1611 – e nem os franceses, alemães, espanhóis, russos, etc, teriam a Palavra de Deus, porque eles não tinham a KJV a menos que eles pudessem falar inglês.

A KJV é a Palavra de Deus. Embora possa haver um pequeno erro aqui ou ali, comparando-se os versos que tratam do mesmo assunto, que fique bem claro. Existem diferentes nuances e tons de significado em cada língua, de modo que por muitas palavras que não existem equivalentes exatos disponíveis para um tradutor. Que o original grego ou hebraico não pode (em alguns lugares) ser traduzido diretamente em suaíli ou algum obscuro dialeto primitivo, não significa que a tradução dessas pessoas não é a Palavra de Deus.
 
Abaixo está uma carta que escrevi a Dave Hunt, em Outubro de 1997, em resposta a sua lamentável e anêmica "resposta". Até o dia que apresentada, ele não respondeu.
 
Prezado senhor Hunt:

Depois de ler a sua resposta ao indivíduo que lhe pediu uma "cópia das Escrituras sem erros" na TBC de outubro de 1997, achei que sua resposta foi totalmente inadequada. Você não disse nada para resolver a confusão que você está fazendo em suas publicações sobre a autoridade final do cristão. Há muitos, muitos crentes (principalmente os novos convertidos) que estão lutando com essa questão. Eles são constantemente instados por seus (supostamente) mentores maduros e experientes (pastores, professores, estudiosos, escritores, etc) para aderir a "perfeita", "infalível", "inerrante", "inspirada por Deus", Escrituras para a doutrina , instrução, correção e verdade absoluta, mas quando eles indagam a respeito de onde estas Escrituras inerrantes podem ser encontradas, são informados de que já não existem ou estão apenas no céu! Quando perguntam mais a respeito do que se entende pelo termo "Escrituras", eles entram em um confuso labirinto de referências indisponíveis sobre autógrafos originais, várias famílias de textos gregos, uma miríade de traduções do inglês, uma diversidade de opiniões e preferências, até mesmo dicas de vendedores de bíblias, etc etc ... que estão praticamente os deixando confusos. Seus mentores lhes darão as suas "preferências", como os “mais confiáveis" textos e traduções, mas sempre com a ressalva de que nenhum deles é infalível. Você tem uma parcela de responsabilidade por toda esta confusão, senhor Hunt, desde que você não pode dar uma clara, simples e direta resposta a uma pergunta como é que ele pode obter a inerrante Palavra de Deus. Esta é a pergunta mais básica que qualquer crente pode perguntar: como alguém pode saber ao certo o que Deus tem dito?

Uma vez que Deus não é o autor desta confusão (1 Coríntios. 14:33), sempre me espantou como supostamente certas "autoridades" cristãs de confiança podem cantar louvores a Palavra de Deus (às vezes agitando uma Bíblia no ar) e exaltá-la em todos os sentidos e depois não ser capaz de prover o livro que eles estão falando. Isso é altamente inconsistente e enganoso. Não é até um crente perguntar-lhes mais de perto que ele percebe que reservam estes elogios só para os autógrafos inexistentes. Eles reverenciam essa Bíblia de fantasia (como você sabe os autógrafos nunca foram compilados em um volume), próximo à idolatria. Há obviamente uma força de trabalho aqui que não é a do Senhor para causar tal comportamento irracional. "É assim que Deus disse".

Depois de estudar este problema por anos eu concluí que a mentalidade de muitos no meio fundamentalista é dominada por essa injustificada "fixação em autógrafos". Em vez de acreditar e confiar na Palavra de Deus como Ele a tem preservado, eles vagam como paleontólogos cegos procurando a inexistente "ligação desaparecida". Eles estão procurando por algo que Deus usou há quase 2000 anos atrás. Isso prova que eles não estão seguindo a "mente de Cristo." Eles reverenciam e procuram algo que Deus não mais usa e abandonou (como a serpente de bronze). Este desejo afetou tanto a sua mentalidade e nublou o julgamento deles que eles pensam como evolucionistas. Quando é sugerido a eles que a pura Palavra de Deus inerrante pode existir na terra em forma pura, apesar dos autógrafos perdidos, eles descartam a idéia de que não é possível porque sua religião diz que "somente os autógrafos originais são inspirados; cópias, por sua natureza, não podem ser". Quando sugerido aos evolucionistas que a criação deve ser considerada uma possibilidade de existência do universo e do homem, eles a rejeitam, porque sua religião insiste que “parece improvável diante da evolução, tanto matematicamente quanto cientificamente, o fato de estarmos aqui prova que a evolução é a verdade, a criação está fora de questão”. Ambos os grupos com a sua argumentação e retórica tem se prendido em um sistema de crença-lógica que rivaliza com qualquer seita, deixando praticamente nenhum espaço para a fuga. Se um indivíduo de um ou outro grupo questiona ou se desvia de seus respectivos grupos “definiu uma posição”, seria imediatamente "boicotado" como "não-ortodoxo" ou mesmo "lunático". O medo do ridículo e do estigma de ser marcado como "não acadêmico" os mantém sob controle, mesmo quando muitos deles, pessoalmente, tenham reservas. Aparentemente, a estima de seus pares é mais valiosa para eles do que a verdade, e eles estão tão desesperados para parecer acadêmicos que irão utilizar argumentos irrelevantes, ilógicos e emocionais para defender a sua posição "histórica" e "manter-se no aprisco”.  

Um argumento, que você usa, é que nenhum texto pode ser infalível, porque todos os manuscritos disponíveis são apenas cópias. Isso é irrelevante e até contraproducente, uma vez que TODA referência a "Escritura" na Bíblia é uma CÓPIA não é um autógrafo. Não havia ninguém, sabemos, de quem os crentes os bereanos tinham os autógrafos. Nem os judeus, em João 5, o eunuco em Atos 8, Paulo em Romanos 4, ou mesmo Cristo em Lucas 4. Todos eles tinham cópias, algumas delas provavelmente de muitas gerações, os autógrafos, mas o Espírito Santo os chamou de "Escritura." Quando Paulo diz: "Toda a Escritura é divinamente inspirada" (2 Tm. 3:16), ele NÃO se refere aos autógrafos, mas as Escrituras (cópias) que Timóteo tinha (vs 15)! Os autógrafos não são Escritura porque são autógrafos, mas porque são as Escrituras! Ao contrário dos "eruditos" fundamentalistas de hoje, a Bíblia não faz distinção entre autógrafos e cópias. Toda esta propaganda sobre autógrafos não é senão um artifício satânico concebido para causar dúvida em um crente para a Bíblia que ele tem.

Pela fé, os crentes do Novo Testamento acreditavam nas Escrituras que o Senhor lhes deu (cópias) e tratou-os como a própria (inerrante, etc) Palavra de Deus. Nenhuma vez o Senhor, Paulo, os bereanos, ou qualquer outra pessoa usou o argumento filosófico que você e outros utilizam hoje: que as cópias não podem ser confiáveis como pura Escritura, só os autógrafos são "inspirados". Tal conceito é o resultado do raciocínio humano, estranho às Escrituras.

Outro argumento utilizado é que o tradutor da KJV alegou não ter inspiração "especial" para si ou para seu trabalho. Primeiro, a Bíblia não reivindica a "inspiração" para qualquer pessoa que não seja Deus (Jó 32:8, "inspiração do Todo-Poderoso", como você diz, seja um bereano). Está escrito: "Toda a Escritura é divinamente inspirada", isto é, a Escritura é dada pelo sopro de Deus ou respiração. Onde é que qualquer um dos escritores de autógrafos (Moisés - João) afirmaram ser eles "inspirados"? Muitos livros da Bíblia nem sequer alegam serem Escritura, e muito menos os seus autores "inspirados". Onde é que Mateus (ou Marcos, ou mesmo Paulo em muitas das suas epístolas) reivindicaram que seus livros são apenas a expressão pura de Deus? No entanto, são as palavras de Deus. Deve ser claro para qualquer leitor da Bíblia que Deus pode usar pessoas sem elas saberem, ou pelo menos sem saberem as ramificações do que Deus está fazendo com elas. Portanto, sua sugestão de que a KJV não pôde ser "inspirada" ou inerrante, porque os tradutores não afirmaram inspiração é inválida e irrelevante.

Além disso, as duas premissas mais importantes, como você disse, que negam a existência sobre a terra de uma Bíblia inerrante não são bíblicas. Alegam (1) que somente os autógrafos originais foram inspirados, inerrantes, puros, etc, que as cópias devem ser inferiores; (2) que somente nas línguas originais podem transmitir a revelação completa de Deus, a palavra pura - traduções devem ser inferiores. Outro argumento bíblico que você sugere é que Deus é obrigado a fornecer a sua palavra inerrante em todas as línguas se Ele proveu em uma. Todos esses argumentos são resultado da atividade do raciocínio humano (se não satânico) sem qualquer base bíblica para apoiá-los. As Escrituras nem sequer inferem nestes argumentos, ao contrário, defendem o oposto.

(1) Deus prometeu preservar Sua Palavra na sua forma pura para todas as gerações na terra (Salmos 12:6-7; Isa. 59:21). As Escrituras nem sequer insinuam que a palavra de Deus tem que ser verbalmente e idêntica ao autógrafo para permanecer pura. Nós mostramos acima como a Bíblia diz que as cópias podem ser "Escritura".

(2) Há muitos relatos da Escritura ser traduzida. De José falando a seus irmãos no Egito (registrado em hebraico) de Paulo falando aos judeus em hebraico (registrado em grego), acrescido de todas as citações do Antigo Testamento (que não são verbalmente e idêntico ao hebraico, mas ainda Escrituras). A Palavra de Deus não tem a perder a sua autoridade e pureza, sendo traduzida. As limitações que você e outros colocam na preservação, na inerrância e na disponibilidade das Escrituras nada mais é do que invenção humana, sem base bíblica.  

Eu li o seu material por anos, senhor Hunt, e concordo com muitas das suas conclusões e observações, mas eu tenho sido mistificado porque você essencialmente ignora as óbvias deficiências, omissões, perversões (Jeremias 23:36), e a Nova Era inserida nas traduções modernas. Você fala de "sedução do cristianismo", mas desconhece a sedução e o enfraquecimento da sã doutrina nas traduções modernas que ajuda bastante a sedução satânica do cristianismo. Você habilmente alerta sobre os perigos do catolicismo, mas ainda mantém o silêncio diante do fato de as modernas traduções serem baseadas em dois textos católico-grego (Vaticanus, do próprio Vaticano e Sinaticus, de um mosteiro), com seus tradutores chamando-os de "melhores textos de confiança". Para retribuir o favor a seus amigos protestantes, Roma tolera e até mesmo recomenda a maioria das traduções modernas, mas eles nunca tiveram nada além do maior ódio possível e desprezo pela Versão Autorizada desde a sua publicação. Como resultado, católicos e protestantes hoje têm essencialmente a mesma "Bíblia" (além dos apócrifos), e você fica calado.

Pior do que o seu silêncio, porém, é que você cita (e por isso recomenda) uma dessas versões corruptas em seu livro "A Sedução do Cristianismo" (NASV - New American Standart Version - corrompeu a parte que diz que Cristo é Deus "unigênito", Jo 1:18). Tanto os católicos como as Testemunhas de Jeová ansiosamente recomendam esta versão sobre a King James, e cada vez mais eles entendem que esta é a sua "Bíblia". Não me admira cristãos estarem confusos, os seus "líderes" estão a ensinar confusão e contradição.

Estou certo de que você faz parte daquelas pessoas que eu mesmo pertenci no passado. Até hoje acredito que a Bíblia King James de 1611 (de qualquer edição) é a pura palavra de Deus no idioma inglês. No entanto, nem sempre eu acreditei nisso. Tudo o que lia e depois guardava dizia que ela não era pura e continha erros. Esta “informação” me deixou sem nenhuma autoridade final, exceto a minha opinião baseada no parecer dos outros. Depois de mais de um ano de seguir essa mentalidade, o Senhor (alguns diriam que o diabo) começou a me mostrar a falácia de tal situação e como ela foi baseada em incredulidade. Quando eu coloquei essas questões em oração, comecei a encontrar muitas inconsistências e irregularidades entre os críticos da KJV:

(1) Eles não poderiam prover a Bíblia que professavam crer.
(2) Nem dois deles poderiam concordar com a leitura exata do "texto grego" e muito menos como cada palavra deve ser traduzida. (Isto é porque houve mais de 100 novas traduções desde 1885)
(3) Eles insistiram que a AV foi carregada de erros, mas nenhum deles conseguiu encontrar todos os erros.
(4) Nenhum deles acreditou que uma Bíblia inerrante poderia existir na terra.
(5) Eles atacaram a KJV universalmente, e todas as suas traduções comparadas com a KJV (aparentemente por inveja e ciúme).
(6) Mesmo que o suas "mais confiáveis" traduções não fossem inerrantes, assim, não eram verdadeiramente Bíblias. (Não é a Palavra de Deus, por definição, inerrante e infalível, Salmos 19 7-14?)
(7) Eles favoreceram o inconsistente e contraditório texto católico Alexandrino sobre o Texto Recebido da Reforma Protestante.
(8) Eles ignoraram os princípios bíblicos de inspiração, preservação e tradução em favor de sua "lógica" e raciocínio.
(9) Agem como se Deus não tivesse interesse em preservar a sua palavra desde que Ele nos deu. Eles raciocinam como ateus práticos, tratando a Bíblia como qualquer outro livro.
(10) Eles não têm autoridade FINAL maior além da sua própria mente.
Eu acredito na KJV pelas mesmas razões que eu acredito no Cânon de 66 livros. O Espírito Santo levou os crentes a aceitar e acreditar no texto Grego correto (Sírio), bem como os livros corretos do Novo Testamento (tanto Vaticanus e Sinaticus contêm os apócrifos no seu cânon). Eu também acredito na KJV porque Deus tem a usado para promover a Sua causa e a do Evangelho mais do que qualquer outra Bíblia em qualquer outra língua, muito mais do que os autógrafos. Quem saberia que o inglês em 1611 seria hoje a principal língua do mundo (falado por quase 1 bilhão de pessoas)? Por usá-la exclusivamente por mais de quatro séculos, Deus tem claramente "autorizado" ser esta a Sua Bíblia padrão em inglês. Uma razão que Ele tem feito isso é por exaltar o Senhor Jesus Cristo ao seu legítimo lugar - como próprio Deus - com mais freqüência e mais claramente do que qualquer tradução moderna. Eu acredito que os crentes do início do Novo Testamento pela mesma razão, acreditavam que as cópias das Escrituras que eles tinham, simplesmente pela fé confiaram em Deus ao dar a Sua palavra, como prometeu, e aceitaram as cópias estabelecidas que lhes foram fornecidas. Deus vinha utilizando a KJV muito antes de qualquer um de nós entrar em cena, senhor Hunt, e ao menos que o erro seja definitivamente COMPROVADO, deve ser mantido como Sua genuína palavra.
 
Além disso, acredito que a nossa posição é a mais segura que um crente pode tomar. Se estamos errados em acreditar que a KJV é pura palavra de Deus em inglês, então seremos julgados por acreditar que Deus tem a utilizado tanto. Mas aqueles que se recusam a acreditar podem ser julgados por incredulidade, infidelidade e por espalhar a confusão e a falta de fé! Para nós, a primeira posição é para ser a preferida.

Eu acredito que a KJV é pura palavra de Deus sem reservas. Temos tratá-la como inerrante e infalível. Mais uma vez, como um cristão deve tratar a Palavra de Deus? Para alguém chamar uma tradução de "Palavra de Deus" ainda insistindo apesar dos seus erros contidos é altamente inconsistente e até mesmo blasfemo. Ao contrário de você, quando nos deparamos com passagens que não entendemos ou aparentes contradições não as descartamos como erros de tradução ou do copista e nem as "corrigimos" adequadamente. Isso seria fazer de nós mesmos a autoridade final. Ao invés de julgar as Escrituras, deixemos que elas nos julguem. Afirmamos que Deus preservou a Bíblia na versão KJV na maneira que Ele desejou que nós a tivéssemos. Não acreditamos que deve ser idêntico aos autógrafos para ser Escritura.  
 
Finalmente, senhor Hunt, eu escrevi uma carta bem longa, pois parece que você é um homem razoável que busca fazer a vontade de Deus. Posso estar errado, mas espero que não. No entanto, você não pode ver as suas incoerências? Você pedir aos seus leitores para serem como os bereanos em relação as Escrituras e ainda ao mesmo tempo alegar que as Escrituras não estão disponíveis. Você diz que a KJV é "A Palavra de Deus" e depois dizer que ela tem erros. Você não pode ver como isso causa confusão? Isto não é irracional para seus leitores que esperam que você produza a sua tangível autoridade final.

Em seu livro "A Woman Rides The Beast" você tem um excelente capítulo intitulado "Sola Scriptura", detalhando como a Igreja Católica Romana usurpa a autoridade das Escrituras, mas a tragédia é se você coloca no mesmo lugar "católico", "Roma", "A Igreja," etc, com "Fundamentalistas", "estudiosos", "as principais autoridades", etc, seria quase como correto. Nenhum grupo pode produzir o que eles dizem acreditar e apelar à "igreja" ou "sabedoria", como a autoridade final.
Por respeito à razão de seus leitores e do Evangelho, senhor Hunt, por favor, venha com uma posição mais consistente e bíblica. Acreditamos que a posição que você defende é uma grande artimanha de Satanás que tem enganado o homem. Em vez de apenas tentar tirar fisicamente a Bíblia das mãos do povo pela perseguição, ele usa a "lógica" e a "razão", apelando ao orgulho do homem e ao seu (fraco) intelecto a fim de "argumentar" contra as Escrituras colocando-as fora de sua mente e coração. Isto deixa o homem como sua própria autoridade final. As táticas de Satanás tem mudado pouco desde que ele lidou com Eva. Sua sugestão "sereis como Deus", é tão atraente para o ego do homem vaidoso que ele, muitas vezes, abandona a Deus, dando palavras de seu próprio parecer fraco à custa de sua própria vida.
 
Em Sua Graça
Timothy S. Morton
 
Leia também: Dave Hunt Ensinos e Atividades Expostas

Traduzido por Edimilson de Deus Teixeira
Fonte: www.preservedwords.com

Discernimento Bíblico - www.discernimentobiblico.net