JOCUM: CONSTRUINDO UMA IGREJA MUNDIAL

Por David Cloud
 
Jovens Com Uma Missão (JOCUM) é uma das maiores agências missionárias do mundo com aproximadamente 16.000 voluntários trabalhando em tempo integral e 25.000 treinados em curto prazo anualmente. Eles operam em 180 países.
 
A Jocum foi fundada em 1960 por Loren Cunningham, um jovem estudante da Assembléia de Deus nessa época. Ele afirma que em 1956 teve uma visão de ondas quebrando na terra, e quando olhou mais de perto as ondas se transformavam em pessoas levando o evangelho para as nações. Ele determinou iniciar um movimento missionário que "daria as boas vindas aos cristãos de todas as denominações". 
 
Em 1987, na cidade de Nova Orleans, eu entrevistei um representante da Jocum, Chuck Ellis. Ele me disse que ainda que não estivesse certo do número exato de católicos trabalhando junto com a Jocum, tinha a impressão de que havia pelo menos mil deles, contando os treinados em curto prazo.
 
"Desde os anos 70 a Jocum tem trabalhado com católicos carismáticos, e em 1984 ela formalmente aceitou uma proposta de atuar junto com a igreja católica (e os ortodoxos do leste) em vários projetos. Existe agora um 'bom número' de jovens católicos romanos trabalhando para a Jocum, incluindo Rob Clarke, o diretor de seu centro de treinamento em Dublin. A Jocum está atualmente trabalhando com três dioceses católicas romanas na Polônia para construir comunidades locais de fé" (Calvary Contender, Jan. 15, 1993).
 
Em "Adventures in Reconciliation", que foi publicado no site catholicireland.net, de 30 de junho de 2008, Rob Clarke diz como ele se tornou um católico romano ao frequentar uma missa católica carismática com sua irmã, que era associada com o movimento Young Christian Workers (YCW). Ele diz: "eu lembro vividamente desse dia, como eu senti a presença de Deus na missa e como isso teve um impacto real em mim". Depois de encontrar com uma equipe da Jocum na Holanda ele frequentou o seu programa de treinamento de discipulado e se tornou membro de seus quadros. Ele trabalhou com Bruce Clewitt na Áustria, que foi o pioneiro na colaboração ecumênica com a igreja católica desse país. Em 1987, Clarke se tornou líder da Jocum na Irlanda. Ele diz: "eu sou grato pela rica herança que recebi da igreja católica".
 
Clarke disse: "estamos tentando abandonar a ideia de simplesmente 'converter' os católicos – que é voltá-los para o protestantismo – e tomar a direção de um sistema de ministério em conjunto com a igreja católica".
 
Em um artigo de agosto de 1993 na revista Charisma intitulado "Jocum constrói pontes para os católicos". Considere alguns extratos:  
 
As relações entre católicos e evangélicos na maior parte do mundo são tensas, se não abertamente hostis. Mas líderes da Jocum passaram por uma mudança radical em seu pensamento sobre os católicos romanos, e as equipes da Jocum no leste da Europa estão engajadas em construir pontes com os católicos por mais de uma década.  
 
[As equipes da Jocum consultaram] autoridades católicas antes de estabelecerem um programa de treinamento de discipulado para jovens católicos carismáticos [na Polônia].
 
Em 1976, Bruce Clewett, um obreiro da Jocum na Áustria, estava orando, para saber se era possível para um nascido de novo, crente na Bíblia se envolver com o catolicismo romano. Ele decidiu que era. Em 1978, as equipes da Jocum na Áustria começaram a cooperar com os católicos.  
 
Quando isto veio ao conhecimento de outros sete mil obreiros da Jocum, questões foram levantadas sobre a possibilidade prática de haver cooperação entre católicos e evangélicos. Em 1984, a Jocum adotou uma política de permitir as suas equipes de trabalhar com católicos quando fosse possível e desejável. Desde então, a Jocum tem em seus quadros, um católico, Rob Clarke, como diretor da escola de treinamento de discipulado em Dublin. 
 
Al Akimoff, diretor da Jocum para ministérios eslavos, diz que os missionários da Jocum não estão tentando atrair os católicos para fora de suas igrejas. Ao invés, ele diz que os missionários estão introduzindo os católicos no conhecimento de Cristo e ajudando a estabelecer  comunidades católicas evangelísticas centradas em Cristo.  
… a Jocum tem desempenhado um importante papel em estimular os jovens católicos carismáticos na Alemanha e Inglaterra, pois seus programas de discipulado atendem a uma necessidade que não tem sido suprida pela Igreja Católica. 
 
Rob Clarke, diretor católico romano da Jocum na Irlanda, disse: "estamos tentando abandonar a ideia de simplesmente 'converter' os católicos – que é voltá-los para o protestantismo – e tomar a direção de um sistema de ministério em conjunto com a igreja católica" (Fundamentalist Digest, May-June 1993).
 
Floyd McClung, ex-líder da Jocum, regularmente se reunia com católicos romanos. Por exemplo, ele se juntou com dezenas de milhares de católicos romanos, incluindo centenas de padres e freiras, no congresso norte americano no Espírito Santo & Evangelização Mundial em julho de 1987 e agosto de 1990. A Jocum estava bem no centro dessas conferências não bíblicas.   
 
Em Janeiro de 1997, Bruce Clewett, líder da Jocum, (diretor nacional da Jocum na Áustria) participou de um histórico encontro ecumênico de adoração na catedral de St. Stephen em Viena. O arcebispo católico Christoph Schonborn convidou Protestantes e Batistas para conduzirem o programa. Cerca de 2000 pessoas estiveram presentes ao evento. Uma igreja da denominação Vineyard disponibilizou música ao estilo rock gospel com uma banda composta de guitarras, saxofone, teclados e bateria. A revista Charisma descreveu assim o encontro: "Participantes de todas as denominações estavam visivelmente felizes – até mesmo emocionados, disse um dos organizadores. O encontro teve culto 'elétrico' da igreja livre, hinos contemplativos católicos, testemunhos pessoais, leitura das Escrituras, sermão evangelístico, dança de adoração, uma procissão católica carregando uma cruz, uma cerimônia trivial e outras mais" (Charisma, May 1997). Bruce Clewett comentou que houve duas coisas notáveis neste encontro: "Primeiramente, que o arcebispo não convidou evangélicos e líderes carismáticos independentes apenas para virem como convidados, mas sim para ajudar a conduzir as atividades. Em segundo lugar, que os Protestantes estavam muito ansiosos em ir!".        

Mark Alexander relata o seguinte: "Em fevereiro de 2006, eu fui ao um grupo de jovens que tinha acabado de concluir um treinamento de discipulado com a Jocum. Eles disseram que tinham estado em uma missão trabalhando junto com católicos romanos em uma conferência no Brisbane City Hall. Não sendo capaz de entender como missionários Protestantes puderam se juntar com católicos em uma conferência para evangelização, eu os questionei até descobrir que eles eram católicos praticantes (não ex-católicos) totalmente integrados com a Jocum, e meramente auxiliando na conferência. Eles vigorosamente defenderam a mariolatria, a missa, a tradição e outros erros do catolicismo romano. Esses jovens tinham acabado de passar por uma organização que se intitulava uma missão Protestante. Eles tinham se unido a Jocum como católicos e depois de seu treinamento de discipulado ainda eram católicos. O mais triste foi ver esses jovens indo pelo caminho largo pensando estar servindo ao nosso Senhor. Eu ouço a Jocum alardear: "católicos são bem-vindos, e a beleza disso tudo é que não existem conflitos entre as denominações". Desde quando o catolicismo romano é uma denominação cristã?" (Mark Alexander, "YWAM's Ecumenical Error," http://www.christianissues.biz/ywam.html).
 
John White, missionário na Austrália, relata o seguinte:
 
"No festival Jesus, da Jocum, na Letônia – um bolo de 30 kg marcou o quinto aniversário da Jocum da Letônia durante seu maior festival Jesus até agora. Em Liepaja, na costa do mar Báltico da Letônia, uma cidade conhecida por festivais e concertos, 500 crentes de diferentes denominações se reuniram para ouvir palestrantes incluindo Peter Iliyn [diretor da Jocum nos EUA], Tjebbo Eijkhoff, Maris Dzelzs e Loren Cunningham [co-fundador da Jocum] e sua esposa Darlene em sessões plenárias e em seminários de culto, evangelismo e Espírito Santo. Uma equipe de evangelismo da Suécia e da Letônia, liderados por Tjebbo, disse ter recebido mais de 700 respostas à decisão. O evento foi marcado pelo rompimento de barreiras pela unidade com a participação de um bispo católico romano bem como grupos de louvor cantando músicas tanto de igrejas católicas quanto de carismáticas. Orações e arrependimento pela nação e pela Igreja foi um testemunho da unidade, com pessoas de diferentes denominações juntas orando pela unidade. A cobertura da imprensa foi muito positiva" ("Dangerous Parachurch Organizations", Heads Up! Aug. 3, 2012). 
 
Buddy Smith, missionário na Austrália e editor da Heads Up, relata o seguinte: "Uma equipe da Jocum veio a Malanda alguns anos atrás e assumiu uma turma de ensino religioso de uma escola primária. Uma senhora pentecostal foi quem organizou tudo. Não houve NENHUMA lição da Bíblia. Eles alinharam suas "equipes" em fileiras e dançaram diante dos estudantes que estavam sentados no chão. Quando terminaram e seu líder se levantou para dar seu discurso, um dos meninos que estava na frente levantou a sua mão para fazer uma pergunta, de modo que o líder fez sinal para que ele falasse. Ele disse, na sua simplicidade infantil: 'O que essa dança tem a ver com a Bíblia?' E o líder foi pego de surpresa. Ele olhou para o vazio por alguns segundos e sorrindo envergonhado, respondeu: 'Bem, nada. Nós apenas vimos isto ser feito em Townsville e gostamos, então aprendemos e procuramos fazer aqui em Malanda'. Eu lembro de pensar o quanto essa criança foi mais sábia que o líder da Jocum. Mesmo um garotinho sabia disso, que as atividades da Jocum não tinham nada a ver com a Bíblia, que isso não pertencia ao programa de ensino religioso" ("Dangerous Parachurch Organizations", Heads Up! Aug. 3, 2012).
 
Traduzido por Edimilson de Deus Teixeira
Fonte:  Way of Life

Discernimento Bíblico - www.discernimentobiblico.net