PODEMOS FAZER MAIORES OBRAS DO QUE JESUS?

Por Mike Oppenheimer

João 14:1-12: "NÃO se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.
Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?
Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e desde agora o conheceis, e o tendes visto.
Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.
Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras. Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai".
Jesus está resumindo o ensino antes de ir para o céu e explica que Ele é o caminho para o céu. Que a autoridade que Ele tinha falado é porque o Pai estava nele e Ele no Pai, eles são unidos como Deus a fazer a obra na terra.

Como podemos ver da passagem, esta Escritura foi tirada fora do contexto por aqueles que afirmam que ela se aplica aos "milagreiros" de hoje. A obra que Jesus disse estar fazendo é "falar", entregar uma mensagem.
Isso não significa grandes milagres como em uma maior qualidade. Quando olhamos para os apóstolos, que ouviram estas palavras pessoalmente, não vemos qualquer coisa de superior em milagres por eles. No primeiro século, quando os apóstolos viveram, essas maiores obras aconteceram. Se eles fizeram maiores milagres a prova deveria ser encontrada na Bíblia, mas não está nela. Então, esta passagem da Escritura deve significar outra coisa do que a interpretação defendida pelos milagreiros atuais (movimento de sinais e maravilhas).
Os apóstolos não fizeram milagres maiores do que Jesus, e os cristãos de hoje não têm a capacidade de produzir milagres que os apóstolos fizeram. Paulo em 1 Coríntios 12:29-30 pergunta a igreja "são todos operadores de milagres? Têm todos o dom de curar?" Sua resposta é NÃO. Eles não "alimentaram 5000 homens' ou "acalmaram uma tempestade". Nenhum apóstolo jamais andou sobre a água ou conduziu outra pessoa a andar sobre a água. Nenhum apóstolo se transportou de um lugar para outro instantaneamente. Nenhum apóstolo ressuscitou a si mesmo. Nenhum apóstolo curou uma pessoa a longa distância, eles tinham que estar no local. Nem mesmo os apóstolos que foram treinados pessoalmente por Jesus foram capazes de exibir poder sobre a natureza, como fez Jesus. Eles não duplicaram tudo o que Jesus fez.

Como Jesus, os apóstolos curavam aqueles que eram trazidos a eles. No entanto, os milagres dos Apóstolos eram limitados em variedade, principalmente expulsar demônios, curar doenças e ressuscitar os mortos. Nenhum profeta ou apóstolo jamais foi capaz de duplicar ou exceder todos os milagres que Jesus fez em qualidade ou quantidade. Jesus diz que suas obras eram únicas e Ele fez obras "quais nenhum outro tem feito" (João 15:24).

A principal ordem dada por Cristo durante Seu ministério e, especificamente, Sua última, foi pregar o Evangelho. Se pregamos sobre milagres, estamos praticando o oposto da grande comissão que é sobre o Evangelho. Então não estamos entregando a verdadeira mensagem e certamente perderemos o verdadeiro poder.

Como alguém pode pensar que temos o mesmo poder e habilidades de Cristo, que é Deus que se fez homem? Como podemos esperar que homens pecadores façam milagres que somente o Filho de Deus sem pecado poderia fazer? Rebaixamos a singularidade de Jesus quando dizemos que podemos fazer as mesmas coisas que Ele fez. Jesus Cristo é único tanto em divindade quanto em humanidade, somente Ele é a "imagem do Deus invisível" (Colossenses 1:15), "expressa imagem da sua pessoa"  (Hebreus 1:3). Não há nada e nem ninguém semelhante a ELE. Deus ainda pode nos usar para fazer milagres, quando Ele age e quando oramos, mas não há base bíblica para crentes hoje fazerem milagres iguais ou maiores do que os apóstolos daquela época.
Agora, o que essa passagem de fato significa. Observe que João 14:12 não fala de grandes milagres, mas sim de maiores obras (do grego miezon ergon).
Maior é a palavra grega meizon – gênero neutro de 3187; (advérbio) significando em maior grau: mais.
Jesus disse: "as obras que eu faço" – obras do grego ergon, significa trabalhar; trabalhar com esforço ou ocupação; um ato de labuta. Eles vão trabalhar em um grau maior. Jesus dizendo: "maiores obras do que essas" significa um ministério mais extenso.
Existem outras palavras usadas para milagres na Bíblia – Semeion, um "sinal", isto é, evidência de uma comissão divina; um atestado de uma mensagem divina (Mt. 12:38, 39; 16:1; Mc. 8:11; Lc. 11:16; 23:8; João 2:11, 18, 23; Atos 6:8, etc.); evidência da presença de Deus.
Terata, "maravilhas"; eventos que evocam assombro naqueles que as observam (Atos 2:19).
Dunameis, muitas vezes usada para significar fazer milagres – "obras de poder"; feito realizado por um poder sobre-humano (Atos 2:22; Rm. 15:19; 2 Ts. 2:9).
E erga, "obras"; os atos de Jesus (joão 5:20,36).

Usar João 14:12 e afirmar que faremos maiores obras significando milagres, sinais e maravilhas é remover completamente esta passagem de seu contexto e propósito. 

Os apóstolos e a Igreja fizeram maiores obras – ao levar o evangelho até os confins da terra. Jesus dizendo: "obras maiores do que estas" significava um ministério mais amplo. O livro de Atos mostra que a Igreja levou o evangelho até os confins da terra desde Jerusalém. Os apóstolos foram aos gentios e as pessoas foram salvas em maior número do que quando Jesus estava fisicamente na terra. O que Jesus deu aos apóstolos e para nós hoje é a comissão e autoridade para pregar o evangelho, que é o poder de Deus para a salvação. O "maior" em quantidade é em referência ao evangelho. Isto é o que vemos acontecendo através do livro de Atos os "Atos dos Apóstolos". Podemos trazer alguém imediatamente para um relacionamento com o Senhor e ter o Espírito Santo vivendo nela, algo que os discípulos não puderam fazer no tempo em que Jesus disse isso. Podemos fazer maiores obras, como em obras mais abundantes, porque o ministério do Espírito não se limita a uma única pessoa (Jesus), ou a um país, Israel, mas agora é pregado em todo o mundo empregando todos os crentes em Sua Igreja.

Jesus NÃO está dizendo que faremos maiores milagres do que Ele fez, mas que o nosso efeito sobre as pessoas, nossa influência será maior. O cumprimento da Grande Comissão É a maior obra de que Jesus falou. Sua mensagem foi a morte e ressurreição do Salvador, como eles seguiram a comissão de Jesus para pregar o evangelho, discipular e ensinar as pessoas.

Os apóstolos receberam autoridade para fazer muita coisa que Jesus fez, de forma semelhante, mas não vemos qualquer registro deles fazendo milagres maiores do que Jesus. Seu ministério foi consideravelmente, em termos de tempo, maior do que o de Jesus, contudo, não diz que os todos os livros do mundo poderiam conter todos os seus milagres, como se diz de Jesus em João 21:25.

Muitos querem o cristianismo do primeiro século com o seu poder e milagres para provar que Deus é real. Alguns querem isso por razões egoístas, para ficarem famosos. Mas Cristo nos deu ordens para obras práticas. Os crentes da Igreja primitiva não oravam a Deus para atender apenas às suas necessidades através dos meios sobrenaturais de um milagre, mas estavam levando Seus mandamentos para ajudar seus irmãos. Em Atos 2:45 eles vendiam suas propriedades e bens e as dividiam entre todos os que tinham necessidade. O fato é que os milagres registrados na Bíblia não eram tão comuns como nos é dito hoje; gerações inteiras ao longo da história não conheceram sinais e maravilhas como na geração de Moisés e do Êxodo. Não houve uma "geração de milagres" na história. No entanto, alguns dizem que a última geração terá o poder de fazer milagres como nenhuma outra antes, apesar do silêncio da Bíblia sobre isso. Milagres continuam a existir, mas eles têm aumentado ou diminuído em vários graus através de diferentes períodos ao longo da história.

Não há maior obra do que fez Jesus ao morrer por nossos pecados. O que Jesus deu aos apóstolos e para nós hoje é a comissão e autoridade para pregar o evangelho, que é o poder de Deus para a salvação. O "maior" em quantidade é em referência ao evangelho. Cristo nunca foi para a África ou a América (apesar das afirmações dos Mórmons), mas nós, como Seus representantes, podemos. Maior é em referência ao número, e não a qualidade. Nem os apóstolos, nem nós podemos fazer uma obra maior (milagre) do que a ressurreição (especialmente de si mesmo), ou fazer um cego ver. Jesus NÃO está dizendo que vamos fazer milagres maiores do que Ele fez, embora ao nosso alcance possamos incluir ver milagres.

Milagres ainda podem acontecer, mas o que é uma obra maior? Deixe-me propor reverter a maldição de Adão, transformar uma vida morta espiritualmente para vida espiritualmente, ter o potencial de ser ressuscitado dentre os mortos e viver para sempre na glória celestial certamente cai nesta categoria. Ver alguém caminhando com Deus, que outrora andava em trevas é certamente uma obra maior. O cumprimento da Grande Comissão É a maior obra de que Jesus falou.

Como as Escrituras ainda não estavam concluídas, mas sendo escritas, os milagres autenticaram a mensagem apostólica na Igreja do primeiro século. Os milagres acompanharam a pregação dos apóstolos os ajudando a estabelecer a crença na mensagem do Evangelho (Marcos 16:20, Hebreus 2:3, 4). Quando Paulo e Barnabé pregaram, o Senhor permitia "que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios" (Atos 14:3). O apóstolo Paulo defendeu o seu apostolado afirmando: "Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas" (2 Coríntios 12:12). Observe que Paulo explica isso, como esses sinais e prodígios eram a prova de um ser um apóstolo, e não de ser um cristão, mas um apóstolo. Se a operação de milagres fosse algo comum a todos os cristãos nos dias de Paulo, este tipo de declaração não provaria nada. Se estes sinais e prodígios eram comuns a todos, como se poderia dizer quem eram os apóstolos? Como poderia, então Paulo usá-los como prova de sua liderança? Não haveria maneira de distinguir a liderança dos apóstolos. Mesmo quando os apóstolos estavam vivos todos os cristãos não podiam fazer sinais e maravilhas como os apóstolos faziam, então nós certamente não podemos fazê-los hoje.
O que João 14:12 não diz:
Não diz grandes sinais (miezon semeion).
Não diz poder de fazer grandes milagres (miezon dunamis).
Não diz grandes maravilhas (miezon teras)
Diz maiores obras (Gr. miezon ergon)

Você pode fazer a obra maior ao aprender o Evangelho e também explicar e refutar os argumentos contra ele. A mensagem do Evangelho é o poder de Deus para a salvação que Jesus ensinou como o mais importante (Rm 1:16; 1 Co 1:18; 2 Tm.1: 8; um Pe.1: 5) - uma vez que é entendido por aqueles que ouvem a mensagem torna-se uma motivação para exercer as vontade de invocar o Senhor para salvá-los dos seus pecados. Entregá-lo em sua cidade e em outros lugares é o principal propósito da Igreja hoje como era nos dias dos apóstolos.

Também é um fator motivador para nós, como crentes, enquanto ainda estamos aqui na terra. Devemos estar atentos a toda e qualquer oportunidade, se é uma porta aberta para compartilhar as Boas Novas ou iniciar uma conversa para começar a abrir uma porta.

Traduzido por Edimilson de Deus Teixeira
Fonte:  Let us Reason Ministries

Discernimento Bíblico - www.discernimentobiblico.net